terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Alimentação colorida!

video

Pessoal, em homenagem as nossas crianças que divulgo este vídeo-clipe da cantora Aline Barros com a música "Verde que te quero verde", por que eu desejo que todas as crianças aprendam a comer o verde, o vermelho, o laranja, o amarelo e todas as outras cores encontradas nos nossos diversos vegetais, que são alimentos que nos fornecem principalmente as vitaminas e os minerais, e em cada cor um nutriente diferente para exercer entre tantas, a função de "regulação" dos processos metabólicos do nosso organismo.
Espero que vocês gostem!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

TROCAS QUE VALEM A PENA...



1 Pão francês por integral Eis uma forma de começar o dia protegendo as artérias. A massa integral presenteia o organismo com boas doses de fibras. Esse ingrediente serve de alimento a bactérias aliadas que moram no intestino. Bem nutridas, algumas delas fabricam mais propionato, uma substância que tem tudo a ver com os níveis de gordura na circulação. “Ao chegar ao fígado, ela diminui a produção de colesterol”, explica a gastroenterologista Jacqueline Alvarez-Leite, da Universidade Federal de Minas Gerais. Com isso, cai também a quantidade dessa partícula no sangue.



2 Leite integral por desnatado Esse esquema garante a entrada do cálcio, tão caro aos ossos, sem um bando de penetras gordurosos. A bebida desnatada tem o mesmo teor do mineral, com a vantagem de ostentar menos ácidos graxos saturados. O excesso desse tipo de gordura eleva os níveis de LDL, a fração ruim do colesterol. “Isso porque reduz o número de receptores que captam LDL nas células”, ensina a nutricionista Ana Maria Pita Lottenberg, do Hospital das Clínicas de São Paulo. Se esse mecanismo não funciona direito, o colesterol vaga no sangue, pronto para se depositar na parede das artérias.



3 Óleo de soja e outros por azeite O ganho dessa troca vem da combinação entre gorduras benéficas e antioxidantes que povoam o óleo de oliva. Uma de suas vantagens é fornecer doses generosas de ácidos graxos monoinsaturados. “Eles não aumentam os níveis de LDL e ainda ajudam a erguer um pouco as taxas de HDL, o colesterol bom”, afirma o cardiologista Raul Dias dos Santos, do Instituto do Coração de São Paulo. “Além disso, os compostos fenólicos do azeite evitam a oxidação do colesterol, fenômeno que propicia a formação das placas”, completa Jorge Mancini, diretor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo.



4 Pizza de mussarela pelas de vegetais A ideia pode não agradar aos fãs mais puristas das pizzarias, mas presta um enorme serviço aos vasos sanguíneos. Deixar camadas e mais camadas de queijo de lado de vez em quando significa podar gordura saturada do cardápio. Como você viu, ela protagoniza o disparo do LDL, o tipo perigoso do colesterol. Substituir a mussarela ou a quatro queijos pelas redondas cobertas de vegetais é uma saída para degustar pizzas sem receio. Opções não faltam — vale pizza de escarola, de rúcula, de brócolis e até de abobrinha. E elas oferecem um bônus: pitadas de fibras e antioxidantes.



5 Salgadinhos por castanhas Essa troca é destinada àquele momento em que pinta a fome no meio do dia. Solução fácil, mas nada saudável, seria recorrer aos salgadinhos ou biscoitos recheados, petiscos que costumam contar com gordura trans em sua receita. “Ela não só faz aumentar o LDL como ainda contribui para derrubar o HDL”, alerta Ana Maria Lottenberg. Para escapar da malfeitora, aposte nas castanhas e nas nozes — legítimos depósitos da gordura monoinsaturada, que faz exatamente o trabalho oposto. “As oleaginosas ainda são fontes de antioxidantes”, lembra Jorge Mancini.



6 Cereais açucarados por aveia A aveia tem fama de ser um dos cereais mais nutritivos do planeta. Por isso merece um espaço logo no café da manhã — seja na forma de flocos, seja no mingau. Um estudo da Universidade Federal de Santa Catarina comprova, mais uma vez, sua capacidade de cortar a gordura que sobra no sangue. “A aveia é rica em betaglucanas, fibras fermentadas no intestino e capazes de regular a síntese de colesterol”, explica a autora, Alicia de Francisco, que também é coordenadora para a América Latina da Associação Americana de Químicos de Cereais. “Observamos que elas ainda aumentam o HDL.”



7 Bauru por peito de peru e queijo branco Calma, não pretendemos condenar ao ostracismo um lanche tão tradicional como o bauru. O problema é que ele deixa a desejar se as taxas de colesterol já rumam aos céus. Basta averiguar seus ingredientes: queijo prato e presunto, redutos de gordura saturada e colesterol. Que tal substituí-lo por um sanduba de peito de peru e queijo branco, que é mais esbelto do que seu congênere? Experimente. Só é preciso ficar atento ao tamanho do lanche. Ora, uma gigantesca baguete recheada pode fornecer mais calorias e gorduras do que um bauru de porte modesto.



8 Camarão por peixe Convenhamos: frutos do mar não são tão frequentes no prato do brasileiro. Mas vale ficar atento durante aquela viagem à praia para não se abarrotar de camarões. Eles encabeçam o ranking marinho de colesterol — são 152 miligramas da gordura em uma porção de 100 gramas. Ou seja, quase o triplo do que é oferecido pela mesma quantidade de um peixe gordo como o salmão. Esse pescado se sai melhor também por outro motivo: ele é carregado de ômega-3. E uma nova pesquisa da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, revela: o ômega diminui a captação de LDL pela parede das artérias, prevenindo as placas.



9 Picanha por lombo O porco não é mais gordo que o boi nem o boi é mais gordo que o porco. Tudo é uma questão de corte. Há peças bovinas com menos gordura saturada, caso da alcatra e do filé mignon, e há aquelas parrudas, como a picanha e o cupim. O mesmo raciocínio se aplica à carne suína: o lombo é mais magro que o pernil. Mas saiba que há medidas para retalhar o possível malefício de qualquer corte rechonchudo. “Limpe a peça antes de cozinhá-la, retirando toda gordura aparente”, ensina Ana Maria. Até porque, apesar de a gente não ver, altas doses do nutriente já estão emaranhadas na carne.



10 Manteiga por margarina Elas mantêm uma rivalidade histórica e ainda suscitam debates entre os experts. No duelo em prol de artérias saudáveis, porém, a margarina leva certa vantagem, porque não conta com a famigerada gordura de origem animal e o colesterol. Nos últimos anos, a indústria tem acrescentado componentes à sua fórmula para torná-la mais benéfica. Entre eles, destaque para os fitosteróis, que facilitam a expulsão do colesterol pelas fezes. “Os produtos enriquecidos com essa substância são indicados a quem já tem colesterol alto”, avisa Ana Maria.



11 Quindim por compota de frutas Os doces costumam ser condenados por carregarem açúcar demais. Quando a discussão envolve colesterol, porém, o açúcar pesa menos do que outro ingrediente comum em quindins, brigadeiros e bolos: a gordura. A manteiga, o creme de leite e outros ingredientes gordurosos que dão consistência aos quitutes levam consigo ácidos graxos saturados, que alavancam as taxas de LDL. Não à toa, os especialistas aconselham trocar esse tipo de sobremesa por opções que, sem perder o sabor adocicado, são desengorduradas. O melhor exemplo são as compotas de frutas. Só não vale, é claro, abusar



12 Suco de laranja pelo de uva Essa é para matar a sede e resguardar o peito. É na casca da uva que está um parceiro do coração, o resveratrol. “Ele atua na redução do colesterol e tem efeito antioxidante”, diz a bioquímica Tânia Toledo de Oliveira, da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais. Ao impedir que as partículas de LDL se oxidem, a substância evita indiretamente que elas grudem na parede do vaso. Ao contrário do que muita gente pensa, o resveratrol não é exclusivo do vinho. O suco de uva natural e feito na hora (com casca, por favor!) também o disponibiliza ao organismo.



13 Chá de ervas por chá-mate Não é campanha contra a receita da avó, mas as infusões à base de camomila e afins perdem feio para o mate se o assunto é colesterol. Que o digam cientistas da Universidade Federal de Santa Catarina, que avaliaram as propriedades dessa erva típica do sul do país. “Notamos uma queda de 8,5% nos níveis de LDL em voluntários com taxas normais e uma redução extra de 13,5% em pessoas que tomavam remédios para abaixar o colesterol”, conta o farmacêutico Edson Luiz da Silva, que liderou a pesquisa. A proeza vem das saponinas, moléculas presentes no mate. “Elas diminuem a absorção do colesterol no intestino, favorecendo sua excreção pelas fezes”, explica.



14 Cebola branca por cebola roxa Essa troca pode ser estendida à alface e ao repolho: prefira sempre o roxo. As hortaliças com essa cor abrigam um pigmento que aplaca o colesterol, a antocianina. “Experimentos feitos em animais no nosso laboratório mostraram que ela reduz consideravelmente a concentração da gordura no sangue”, conta a professora Tânia Toledo de Oliveira, da Universidade Federal de Viçosa. “A substância inibe uma enzima que participa da síntese de colesterol no fígado, além de aumentar sua eliminação do organismo.” Morangos e cerejas, saiba, também são reservas de antocianinas.



15 Molho branco pelo de tomate O macarrão é o mais inocente por aqui. Quem incentiva ou não a escalada do colesterol é o molho — sempre. O branco é bem gordo. Em 2 colheres de sopa encontramos 4,5 gramas de gordura. Como o preparo exige creme de leite e queijo, o prato fica cheio de ácidos graxos saturados. Uma bela macarronada ao sugo não guarda esse perigo. Nas mesmas 2 colheres de sopa, há somente 0,1 grama de gordura. “Apenas procure usar o molho de tomate feito em casa e evitar a manteiga no momento de refogá-lo”, orienta a nutricionista Ana Maria Lottenberg. E, se possível, opte pela massa integral.



16 Chocolate ao leite pelo amargo O doce de cacau se notabilizou como um amigo do sistema circulatório. Mas não é todo chocolate que, de fato, prova sua amizade às nossas artérias. O tipo que merece respeito é o amargo. “Ele possui menos gorduras saturadas que o branco e a versão ao leite”, afirma a nutricionista Vanderlí Marchiori, colaboradora da Associação Paulista de Nutrição. “Sem falar que fornece catequinas, substâncias que ajudam a sequestrar o LDL e impedir sua oxidação”, diz. Mas fique atento ao rótulo: amargo de verdade tem mais de 60% de cacau em sua composição



17 Sal por ervas e alho Está em suas mãos uma maneira de preservar os vasos sem deixar a comida ficar insossa: em vez de exagerar no sal, ingrediente que patrocina a hipertensão, use a imaginação e as ervas aromáticas, além de alho. “Ele tem compostos capazes de controlar o colesterol”, exemplifica Vanderlí. E ervas como o orégano e o alecrim merecem ser convidadas à cozinha por causa do seu poder de fogo contra a oxidação, um fenômeno que, você já sabe, não poupa o LDL, tornando-o ainda mais danoso para as artérias. Mas essa ação pode minguar quando os ingredientes são expostos a temperaturas elevadas. Procure acrescentá-los nos minutos finais do cozimento.



18 Frango com pele pelo frango sem pele Muita gente pensa que basta despir uma coxa de frango assada no prato para se livrar de um boom de colesterol. Ledo engano. “Retirar a pele é, sim, fundamental, mas isso deve ser feito antes de levar a carne ao fogo”, esclarece a nutricionista Cláudia Marcílio, do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, em São Paulo. “Quando submetidos ao calor, a gordura saturada e o colesterol da pele conseguem se dissolver e penetrar na carne”, justifica Ana Maria. Aí, será tarde…



19 Queijo pelo tofu A intenção não é jogar mais pedras sobre o parmesão, o provolone e até o minas, mas abrir espaço ao tofu, que é feito de soja. Ele é uma preciosidade porque concentra o que o grão tem de melhor: proteínas e isoflavonas. “A proteína da soja aumenta a atividade de receptores que colocam o LDL para dentro das células e inibe a principal enzima responsável pela produção de colesterol”, explica a nutricionista Nágila Damasceno, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. E as isoflavonas não só potencializam a queda do LDL como evitam sua oxidação.



20 Pipoca de micro-ondas pela de panela Faz toda a diferença investir um tempo a mais para estourar o milho no fogão. “É uma forma de controlar a quantidade de gordura no preparo, porque no produto de micro-ondas ela já é fixa”, argumenta a doutora em ciência dos alimentos Maria Cristina Dias Paes, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, em Sete Lagoas, no interior de Minas Gerais. A versão que ganha na praticidade perde pontos porque carrega ácidos graxos saturados e trans. “Na panela, dá para usar um óleo mais saudável, como o de canola”, diz Cristina. Daí, você aproveita as fibras do milho, deixando seu colesterol em paz.

sábado, 16 de outubro de 2010

16 de outubro: DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO



Hoje é o dia mudial da alimentação! Você sabia que cerca de 1.000.000.000 de pessoas passam fome em todo o mundo?? Mudar esta situção depende da mobilização de todos nós. No Brasil, por exemplo, não é a falta de comida a causa da fome, e sim a má distribuição de renda. Pois o Brasil tem capacidade para produzir comida para o mundo todo. Você sabia também que, cerca de 39.000 kg de alimentos em bom estado de conservação vão todos os dias parar direto na boca, mas na boca do lixo?? Outro fator que mostra esta desigualdade é a obesidade, pois enquanto uns não tem o que comer, outros comem errado. A obesidade é considerada pela Organização Mundial da Saúde, a epidemia do século. A situação é tão séria que, este ano, no dia Mundial da Alimentação, o Conselho Federal de Nutricionista (CFN) aderiu a campanha "1 bilhão de pessoas vive com fome crônica e eu estou louco de raiva", da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), que incluiu na discussão o combate ao desperdício de alimentos e a obesidade. o CFN ainda apoia os movimentos e as ações dos governos para erradicar a fome, o desperdício de alimentos e a obesidade, por entender que estas questões precisam ser combatidas com o direito a alimentação adequada.
Assim, peço a todos que sejam mais consientes com estas causas, tenham habitos alimentares mais saudáveis, pratiquem ativiades físicas regularmente, para evitar e/ou tratar a obesidade, não desperdissem alimentos e apoiem o direito a alimentação adequada a todos. Faça sua parte!!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Existe alguma alimentação adequada durante o tratamento com antibióticos?


Fonte: CFN - Conselho Federal de Nutrição

A permeabilidade intestinal é uma barreira, um filtro que seleciona o que é bom para chegar à circulação e o que não é bom. Esse mecanismo é chamado de "Disbiose". Todos nós devemos ter a permeabilidade intestinal regulada para garantir uma boa saúde intestinal.

Os antibióticos, antiinflamatórios, corticóides, anticoncepcionais, omeprazol, laxantes e altos consumo de carboidratos refinados, entre outros, aumentam a proliferação de fungos no intestino e aumentam a permeabilidade intestinal desencadeando a chamada disbiose intestinal. Ela pode desencadear problemas tais como: alergias, constipação intestinal, acne, OBESIDADE, diabetes, disfunções cognitivas, digestivas, cardiovasculares etc, e consequentemente diminuem a imunidade.

Para regular a permeabilidade intestinal e evitar os problemas citados anteriormente, devemos incluir na ALIMENTAÇÃO diária: leite fermentado, iogurtes, oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas); aumentar o consumo de fibras para quatro colheres de sopa/dia (gergelim, aveia em flocos, linhaça), frutas e vegetais (pelo menos cinco porções/dia) e ALIMENTOS integrais (arroz, massas e pães).

Também é recomendado evitar o consumo de álcool, cafeína e produtos industrializados; consumir no máximo 200 ml de líquidos durante as refeições; evitar o consumo de leite e derivados, bem como glúten e carnes vermelhas em excesso; comer a cada três horas; mastigar bem os ALIMENTOS; reduzir o consumo de sal, açúcares, doces e gorduras; aumentar o consumo de líquidos no intervalo das refeições (água, sucos e chás); incluir gengibre, alho, cebola e orégano como temperos culinários; consumir quatro xícaras/dia de chás de melissa, erva-doce e camomila como ingestão hídrica e por último incluir de 50 a 100 ml/dia de suco de aloe vera puro sem sabor, fora do horário das refeições.

Juliana Murcia Souza Ikoma - nutricionista (Londrina)

terça-feira, 31 de agosto de 2010

DIA DO NUTRICIONISTA - 31 DE AGOSTO


Bom, hoje é um dia especial, pois se comemora o dia deste profissional que tenho tanto orgulho: O NUTRICIONISTA! Ou seja, o meu dia, o NOSSO DIA, caros colegas de profissão. E é claro que eu não poderia ficar sem fazer uma homenagem aos meus tantos colegas, que lutam por promover saúde, seja qual for a área em que atuem. Quero desejar a todos nutricionista tudo de MELHOR que esta profissão possa nos proporcionar!! PARABÉNS pois o trabalho que nos propomos a desempenhar é de muito valor!! Sucesso para nós SEMPRE e FELICIDADES...
FELIZ DIA DO NUTRICIONISTA!!!

Agora segue para conhecimento daqueles que não é nutricionista, um pouquinho da nossa história:

Nutrição é a ciência que estuda os alimentos e os aplica às necessidades nutricionais do homem.
E seu profissional é o nutricionista, responsável por planejar programas de alimentação, preparar dietas e cardápios, supervisionar a produção de alimentos e cozinhas de indústrias e restaurantes, além de acompanhar o regime alimentar de atletas. O Dia do Nutricionista – 31 de agosto - é comemorado nessa data, em virtude da criação da Associação Brasileira de Nutricionistas – ABN, que ocorreu no mesmo dia, no ano de 1949.
O Nutricionista exerce um papel fundamental na vida em sociedade. Ele utiliza a ciência da nutrição e interpreta fatores culturais, biológicos, sociais e políticos, com vistas a melhorar a alimentação, bem como a saúde e a qualidade de vida das pessoas, em todas as fases da vida.
O nutricionista pode atuar em diversas áreas e setores. No setor administrativo de uma empresa, indústria, hospital, hotel ou escola, o profissional gerencia a produção de alimentos. Na área de catering, pode elaborar cardápios para companhias aéreas e emissoras de televisão.
Se optar por nutrição clínica, o profissional avalia o estado nutricional dos pacientes em ambulatórios, consultórios e hospitais e prescreve dietas de acordo com a enfermidade constatada.
No setor de marketing, o profissional pode desenvolver receitas e novos produtos alimentícios, promover degustações e organizar cozinhas experimentais. Na área de saúde pública, atua no planejamento de programas de merenda escolar e alimentação, em creches e postos de saúde.
Se optar por nutrição esportiva, o nutricionista pode trabalhar em clubes, academias, confederações ou por conta própria. Nesse caso, o profissional planeja cardápios e dietas adequadas às atividades físicas desempenhadas pelos atletas.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

DESVENDANDO OS MITOS DAS DIETAS. Não adianta se desesperar: emagrecer leva tempo




"Dieta de Hollywood", "Emagreça dormindo"... Com tantos produtos e dietas sendo lançados, todos os dias, fica difícil saber qual o melhor caminho para emagrecer e preservar a saúde.

A equipe do Citen acredita e defende a idéia de que emagrecer é possível e prazeroso. Pode, inclusive, ser duradouro e até definitivo quando encarado com a maturidade de quem quer ser saudável para ser belo. A perda de peso ocorre com qualquer dieta de baixas calorias, mas a perda de peso duradoura só ocorre com dietas balanceadas e conhecidas de todo o mundo acadêmico.

Persistência e calma são necessárias para quem está tentando emagrecer. Fuja da tentação do emagrecimento fácil, "em apenas 1 semana", "em 3 dias". Desmistifique suas idéias sobre o processo de emagrecimento:

Pular refeições é uma boa forma de emagrecer?
Quando pulamos refeições, permanecemos em jejum por um longo período. Isso é prejudicial em vários aspectos. Primeiro, porque dificilmente vamos conseguir comer corretamente na próxima refeição, uma vez que podemos estar com muito mais fome e seremos menos seletivos em nossa escolha alimentar. Segundo, porque nosso organismo reage ao jejum com redução do gasto calórico e, conseqüentemente, isso dificulta a perda de peso.

É possível emagrecer comendo tudo o que se deseja.?
Todas as vezes que escolhemos alimentos mais calóricos, devemos reduzir o volume ingerido para conseguir perder peso. Às vezes, a redução de calorias inviabiliza a dieta, pois o pequeno volume ingerido nos causa muita fome. Por outro lado, é impossível aderirmos a um plano dietético, abolindo nossos alimentos prediletos. Por isso, a dieta deve sempre ser individualizada e discutida com o paciente.

Comer depois das 20:00 causa ganho de peso?
Não há nenhum estudo criterioso que comprove essa idéia, assim como é polêmica e infundada a suspensão do carboidrato do jantar. O maior problema é o excesso de alimentos, à noite, e sua influência na qualidade da digestão e do sono noturnos.

Certos alimentos, como berinjela, sopa de repolho e suco de limão podem queimar a gordura corporal e fazer perder peso rapidamente?

Não há alimentos que queimam gorduras. Todo alimento que será metabolizado pelo organismo causa um gasto energético, mas isso não causa perda de peso. O efeito das sopas na perda de peso deve-se ao fato de serem refeições pouco calóricas. Por outro lado, são frugais e de absorção muito rápida, podendo predispor a sensação de fome precoce.

Comer carne vermelha é ruim para a saúde e tornará mais difícil a perda de peso?
Não há alimento ruim, há dieta ruim. A carne vermelha é um componente muito importante para a nossa saúde, uma vez que contém ferro em sua forma de mais fácil absorção. Os riscos para a saúde são o fato de algumas delas serem fontes de gorduras saturadas, em geral, e de colesterol, em particular, e nesse caso, serem muito calóricas.

Fast foods sempre são uma escolha inadequada para a saúde e devem ser evitados durante a dieta?
Esses alimentos são, realmente, na maioria das vezes, inadequados à saúde. Isto, no entanto, não os tornam abolidos do cardápio. Hoje, preocupa-nos muito o grande consumo destes alimentos entre as crianças e adolescentes nas cantinas das escolas e nos almoços dos executivos e trabalhadores das grandes cidades.

Pouca gordura ou sem gordura significa que o alimento não tem calorias?
Geralmente, as gorduras são os macronutrientes mais calóricos (9 calorias/grama) quando comparamos com as proteínas e carboidratos (4 calorias/grama). Então, os alimentos sem gorduras ou com baixo teor de gorduras têm menos calorias. Isso não significa que não contêm calorias.

Autora: Dra Ellen Simone Paiva - Endocrinologia e nutrologia
Fonte: Minha vida. Saúde, alimentação e bem-estar.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

BEBA ÁGUA!!!




Já que o clima está tão seco, vamos falar de água!
Primeiro vamos falar do mito: devemos beber de 8 a 10 copos de água (2,5l) por dia. Isso mesmo, mito. Boa parte dessa água está nos alimentos que ingerimos: leite, sucos, chás, sopas. Existem alimentos que tem em sua composição uma porcentagem enorme de água:


-pepino: 96%
-tomate: 95%
-melancia: 94%
-cebola: 89%
Por isso, tome água sim. Mas não precisa se entupir com copos d'água. Beba moderadamente e complete com alimentos ricos em água!

E não adianta tomar litros e mais litros de água pra acabar com a celulite. Água sempre é bom, ajuda a eliminar toxinas, MAS água em excesso pode promover a retenção de líquidos e agravar o problema da celulite...

A água ajuda os rins a liberarem toxinas, regula a temperatura do corpo, transporta nutrientes e ajuda o intestino a funcionar direito, mas infelizmente não emagrece. O excesso de água pode até ser perigoso. Em 2008, uma inglesa morreu após ficar 3 semanas ingerindo 4 litros de água e somente 530kcal por dia. seu corpo entrou em colapso... (Fonte: Revista Super Interessante).

E para terminar, quem pratica esportes deve beber água para hidratar o corpo, mas com moderação. Beber água em excesso durante a prática de esportes causa a diluição de sódio no sangue, causando náuseas, dores de cabeça e até em casos extremos convulsões. O ideal é hidratar-se antes, durante e após o treino (mesmo sem sede, porque a sede já é sinal de falta de água no organismo). E depois de pelo menos 60 minutos de exercício físico, o ideal para se hidratar com os isotônicos (bebidas que combinam a quantidade certa de sódio, potássio e outros minerais) já que têm a composição parecida com o nosso suor.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL








Projeto de EDUCAÇÃO NUTRICIONAL realizado com os comensais da PaulOOctávio Investimentos Imobiliários - Brasília, DF, onde sou responsável pelo Serviço de Nutrição. Assim além de atuar zelando pela integridade higiênico sanitária da refeição que é oferecida para os funcionários, e elaborar cardápios personalizados de acordo com as recomendações do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) e preferências alimentares dos mesmos, é elaborado e exposto a todos eles estes folhetos com a importancia nutricional de diversos alimentos, a fim de concientizá-los e incentivar o hábitos alimentares mais saudáveis.

Angela Arantes | Nutricionista

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Propaganda de alimentos: novo regulamento garante liberdade de escolha e incentiva alimentação saudável


As propagandas de bebidas com baixo teor nutricional e de alimentos com elevadas quantidades de açúcar, de gordura saturada ou trans e de sódio vão mudar nos próximos 180 dias. Esse é o prazo que as empresas têm para se adequar à RDC 24/2010, publicada nesta terça-feira (29). A resolução estabelece novas regras para a publicidade e a promoção comercial desses alimentos. O objetivo é proteger os consumidores de práticas que possam, por exemplo, omitir informações ou induzir ao consumo excessivo.

“O consumidor é livre para decidir o que comer. No entanto, a verdadeira liberdade de escolha só acontece quando ele tem acesso às informações daquele alimento, conhece os riscos para a sua saúde e não é induzido por meio de práticas abusivas”, afirma a gerente de monitoramento e fiscalização de propaganda da Anvisa, Maria José Delgado.

Com a nova resolução da Agência, ficam proibidos os símbolos, figuras ou desenhos que possam causar interpretação falsa, erro ou confusão quanto à origem, qualidade e composição dos alimentos. Também não será permitido atribuir características superiores às que o produto possui, bem como sugerir que o alimento é nutricionalmente completo ou que seu consumo é garantia de uma boa saúde.

Uma das grandes preocupações da resolução está focada no público infantil, reconhecidamente mais vulnerável. Por isso a nova resolução dá especial importância à divulgação acerca dos perigos vinculados ao consumo excessivo de determinados produtos.
Estudos internacionais demonstram que a vontade das crianças pesa na escolha de até 80% das compras feitas pela família. Em maio de 2010, a Organização Mundial da Saúde (OMS), recomendou que os países adotassem medidas para reduzir o impacto do marketing desses alimentos sobre as crianças. O Brasil foi o primeiro país do mundo a apresentar medidas concretas. A nova resolução também atende a uma recomendação do Mais Saúde, o PAC da Saúde.

Alertas

Ao se divulgar ou promover alguns alimentos será necessário veicular alertas sobre os perigos do consumo excessivo. Para os alimentos com muito açúcar, por exemplo, o alerta é “O (marca comercial) contém muito açúcar e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de obesidade e de cárie dentária”.

No caso dos alimentos sólidos, esse alerta deverá ser veiculado quando houver mais de 15g de açúcar em 100g de produto. Em relação aos refrigerantes, refrescos, concentrados e chás prontos, o alerta será obrigatório sempre que a bebida apresentar mais de 7,5 g de açúcar a cada 100 ml.

Na TV, o alerta terá de ser pronunciado pelo personagem principal. Já no rádio, a função caberá ao locutor. Quando se tratar de material impresso, o alerta deverá causar o mesmo impacto visual que as demais informações. E na internet, ele deverá ser exibido de forma permanente e visível, junto com a peça publicitária.

Os alertas deverão ser veiculados, ainda, durante a distribuição de amostras grátis, de cupons de descontos e de materiais publicitários de patrocínio, bem como na divulgação de campanhas sociais que mencionem os nomes ou marcas de alimentos com essas características.

Os fabricantes de alimentos, anunciantes, agências de publicidade e veículos de comunicação que não cumprirem as exigências estarão sujeitos às penalidades da lei federal 6437/77: sanções que vão de notificação a interdição e multas entre R$ 2 mil e R$ 1,5 milhão.

Alimentação saudável é direito

Na atualidade, cada vez mais, a alimentação inadequada está relacionada a doenças crônicas como obesidade, hipertensão e doenças cardiovasculares. Pesquisa do Ministério da Saúde divulgada recentemente revelou que o excesso de peso (sobrepeso e obesidade) já atinge mais de 46% da população brasileira. Os números refletem a queda no consumo de alimentos saudáveis e da substituição deles por produtos industrializados e/ou refeições prontas.

O direito à alimentação saudável está previsto em diversos tratados internacionais e desde fevereiro de 2010, por meio da promulgação da PEC 64, está estabelecido na Constituição como um direito social. A divulgação de informações, de forma clara e equilibrada, sobre os alimentos, principal preocupação da RDC 24/2010, é uma das estratégias para que esse direito seja garantido.


Imprensa/Anvisa

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Educação Nutricional com crianças da Pastoral de São Simão - GO





Trabalho de Educação Nutricional realizado com a Pastoral da Criança da Paróquia de São Simão.
O Trabalho de educação Nutricional é muito importante, principalmente com crianças entre 2 e 4 anos, pois é nesta faixa etária que criamos nossos hábitos alimentares que seguiremos pelos subsequentes anos de vida. Além das crianças, é importante também que se faça um trabalho com os pais, que são de fato os responsáveis pelas escolhas alimentares das crianças.
Para este trabalho então, confeccionei máscaras com temas de alimentos, entre eles: Pêra, tomate, leite, queijo, berinjela e frango. As crianças adoraram esta brincadeira, o intuiuto é criar uma certa proximidade e afinidade com este alimento. Para os pais, ressaltei a importância de oferecer estes alimentos, entre outros do grupo das frutas e verduras, carboidratos, proteínas, leite e derivados e evitar ao máximo as guloseimas.

CUIDADO! Dietas da moda podem ser arriscadas a saúde.


"Perca 8 kg em quatro semanas", "Emagreça comendo chocolate", "Emagreça 7 kg com a DIETA da sopa". Esses são alguns dos anúncios de dietas atrativas encontrados em sites e revistas que seduzem muitas mulheres com promessas milagrosas. No entanto, ao iniciar uma maratona para a perda de peso sem orientação nutricional, o sonho de alcançar o peso ideal pode se tornar um pesadelo.
Seguir qualquer DIETA sem orientação de um profissional da saúde é muito arriscado, pois as dietas da moda geralmente restringem determinado alimento ou nutriente. Perde-se peso porque a ingestão de calorias passa a ser menor do que o gasto calórico, independente da qualidade do que se ingere. Perde-se carboidratos, proteínas, água, vitaminas, gorduras. Se a DIETA for muito restrita, que é o caso da maioria, e for mantida por muito tempo, pode ser muito prejudicial à saúde, podendo causar anemia, queda de cabelo, enfraquecimento das unhas, falta de vitaminas importantes e, até mesmo, anorexia. Além do mais, causa dores de cabeça, fraqueza e tontura.
Outro problema é que as dietas dão resultado em um curto espaço de tempo, porém são monótonas e prejudiciais à saúde, se prolongadas. Além disso, a mídia sempre traz modelos e atrizes famosas, com corpos lindíssimos, como seguidoras dessas dietas da moda, o que faz com que as mulheres se iludam ainda mais.
Além dessas dietas rígidas provocarem também o "efeito sanfona", ou seja, com a mesma facilidade que trazem a perda de peso, trazem também o ganho dele. Dietas pobres em carboidratos, gorduras e proteínas são difíceis de serem mantidas. O organismo entra em estado de alerta, pois percebe que está faltando combustível para o corpo e então armazena o quanto puder. É fisiológico.
Sendo aconselhado assim a adoção de uma DIETA balanceada, feita com orientação do Nutricionista. Não há segredos para entrar em forma e é possível controlar o peso com uma ALIMENTAÇÃO saudável. Uma DIETA segura e eficaz é aquela composta por todos os nutrientes necessários à saúde do organismo, como carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas, minerais, fibras e água, que podem ser encontrados nos pães, grãos, frutas, verduras e legumes, carnes e castanhas. Cada pessoa tem uma necessidade de calorias de acordo com cada metabolismo e o gasto individual.
Para uma ALIMENTAÇÃO saudável:
- Evitar ALIMENTOS ricos em gorduras saturadas, como carnes gordas, manteiga, ALIMENTOS industrializados e os vendidos em restaurantes de preparo rápido.
- Priorizar ALIMENTOS ricos em gorduras insaturadas, como as encontradas no azeite, óleo de soja, castanhas, peixes e abacate. Porém sem exageros, pois gordura, independente da qualidade, é rica em calorias.
- Retirar as gorduras aparentes das carnes antes de comê-las.
- Evitar fritar os ALIMENTOS. Prefira os cozidos, grelhados ou assados.
- Evitar ALIMENTOS açucarados, como biscoitos e bolos recheados, tortas e doces em compotas.
- Dar prioridade aos ALIMENTOS integrais, como pães, arroz, farinhas e macarrão.
- Evitar adicionar sal às refeições.
- Evitar ALIMENTOS embutidos e enlatados.
- Comer peixes frescos pelo menos três vezes por semana.
- Comer pelo menos três porções de frutas por dia.
- Fazer de 5 a 6 refeições diárias.
- Beber mais de 2 litros de água por dia.

Angela Arantes
Nutricionista